Ligamos para Você
Nossa politica de privacidade e cookies Nosso site utiliza cookies para melhorar a sua experiência na navegação.
Você pode alterar suas configurações de cookies através do seu navegador.
Alto Padrão BC
Alto Padrão BC
Telefones para Contato

» Compra e venda de imóveis em 2021

Compra e venda de imóveis em 2021
Publicado em 12/Mar/2021
Sem Categoria

Não é necessário ser um grande especialista no assunto para saber que o cenário de compra e venda de imóveis em 2021 é promissor. Basta olhar para os dados de movimentações dos últimos anos, ver o cenário macroeconômico atual e deduzir que existe uma possibilidade real de muitos negócios serem feitos na área e o mercado imobiliário ser um dos responsáveis pela puxada da retomada econômica pós-pandemia.

No entanto, é importante saber como aproveitar esse clima positivo. Para quem está desempregado (a situação macroeconômica ainda está complicada e com alto índice de desemprego), ser um corretor de imóveis pode ser uma boa opção (hoje em dia, existem cursos online reconhecidos pelo MEC que ajudam a entrar nessa área com maior facilidade). Dito isso, entretanto, será que realmente esse é um bom ano para se tornar corretor de imóveis?

Para quem está com medo, é importante entender o cenário da compra e venda de imóveis em 2021 e compreender por que há otimismo no setor. Siga a leitura para saber ais sobre o assunto!

 

Os 5 fatores que contribuem para a compra e venda de imóveis em 2021

 

1. Pandemia

Um dos primeiros fatores para transformar 2021 em um bom ano para comprar e vender imóveis é a pandemia do novo coronavírus. Pois é, pode parecer contraproducente, mas a pandemia pode realmente melhorar a perspectiva para a venda de casas nesse ano.

Basta ver como aumentou o número de reformas e de compra de objetos decorativos nos primeiros meses de pandemia. Isso indica que as pessoas ficaram muito tempo em casa e se tornaram insatisfeitas com o próprio lar. Essa insatisfação se traduziu em mudanças internas, mas pode virar até mesmo uma mudança de casa ou apartamento.

Afinal, depois de ficar 1 ano inteiro em casa, saindo muito pouco, quem não gostaria de trocar de lar e ir para um lugar diferente, com mais atrativos? Por isso, a própria pandemia pode causar um “troca-troca” de imóveis no Brasil.

2. Taxa Selic

Você sabia que a cada 1 ponto percentual a menos na taxa de juros imobiliários, mais de 2 milhões de famílias se tornam elegíveis para comprar um imóvel? Isso significa que sempre que há uma ação que pode reduzir os juros imobiliários, é sinal de que há a possibilidade de aumentar a compra e venda de imóveis.

Em 2021, a Selic já começa o ano na sua menor taxa da história. Isso significa que ela está fazendo força para os juros imobiliários descerem também. Portanto, o cenário macroeconômico é positivo para favorecer financiamentos.

 

3. Demanda represada

Já faz bastante tempo que o mercado imobiliário no Brasil está parado. Afinal de contas, desde 2015 que a taxa Selic aumentou bastante (chegando a quase 15% ao ano) e deu uma congelada nos financiamentos imobiliários (afinal, os juros estavam altíssimos!).

Essa situação criou uma demanda represada. Ou seja: pessoas querendo comprar casas por diversos motivos (por exemplo, para começar uma vida de casado), mas em fazer a aquisição porque o cenário não está positivo. Some isso com os efeitos da pandemia que comentamos anteriormente e temos uma gigantesca onda de negócios parada.

Assim que as situações mudarem e essa onda represada puder correr livremente, veremos muitos negócios sendo fechados no Brasil. A expecativa é que isso aconteça em 2021.

 

4. Ampla oferta

Durante todo esse tempo de demanda represada, as construtoras continuaram construindo imóveis pelo Brasil. Afinal, a Selic em baixa também barateia o crédito para as empresas, o que torna os imóveis mais lucrativos.

Isso faz com que haja uma boa oferta de imóveis para serem vendidos, muitos novinhos em folha. Isso ajuda a manter o preço controlado mesmo com a alta demanda, o que torna os negócios mais acessíveis para os consumidores. Portanto, mais vendas.

 

5. Resultados pré-pandemia

Por fim, vale lembrar que tudo isso já vinha acontecendo antes da pandemia. Os resutados dos primeiros meses de 2020 eram muito animadores e davam a entender que a perspectiva era que teríamos muitas vendas no ano passado.

Claro que a pandemia entrou em cena, mas ela é uma situação muito única. Por causa isso, não há razões para crer que, do ponto de vista de postura do consumidor, teremos mudanças radicais pós-pandemia. Ou seja: se os resultados eram bons antes, assim que a pandemia acabar eles deverão voltar com força total.

Pronto! Agora você já entende um pouco mais do cenário de compra e venda de imóveis em 2021. Deu para ver que existem mesmo as condições para um ano positivo, não é mesmo? Entretanto, é claro que o fato de haver essas condições não vai garantir com 100% de certeza que o ano será bom para o mercado imobiliário. Por exemplo, se o Brasil continuar com um ritmo baixo de vacinação, será difícil acabar logo com a pandemia e voltar a lucrar com a venda de imóveis.

Gostou do conteúdo? Então comente abaixo com a sua opinião!